Em busca da harmonia, chefes dos três Poderes discutem agenda comum

 

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, participou de um café da manhã nesta terça-feira, no Palácio do Alvorada, com os presidentes da República, Jair Bolsonaro; da Câmara, Rodrigo Maia; do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli; e com os ministros do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Eles discutiram um pacto entre os três Poderes que será assinado, provavelmente, na semana do dia 10 de junho no Palácio do Planalto.

Em encontro no Palácio da Alvorada, os presidentes do três poderem concordaram de que é preciso ajustarem os passos (Foto: Marcos Corrêa/Agência Brasil)

As informações à imprensa foram dadas pelo chefe da Casa Civil. De acordo com Lorenzoni, a ideia é ter um conjunto de metas ou ações pelos quais os Poderes vão trabalhar em conjunto.

— Da reunião de hoje, se consolida a ideia de que se formalize um pacto de entendimento e algumas metas de interesse da sociedade brasileira a favor da retomada do crescimento brasileiro. Daqui até o dia 10 de junho, nós vamos continuar dialogando com os Poderes para a construção do texto, que será então assinado nesse dia e apresentado ao país. O saldo do café da manhã desta manhã foi altamente positivo porque estabelece uma continuidade do diálogo, estabelece uma construção de uma harmonia.

O ministro disse ainda que não se pode esquecer que há algum tempo muitos conflitos aconteceram entre os Poderes do Brasil.

— Isso não ajuda o cidadão ou a cidadã que hoje precisa de emprego, precisa de renda, precisa manter sua família. Então esse chamado do presidente [Bolsonaro] para que os Poderes possam, cooperativamente, dialogar a favor da sociedade brasileira é um ponto muito importante e saíram todos comprometidos com isso e ajustados de que esses encontros, periodicamente, vão se repetir para permitir que o diálogo entre os Poderes esteja cada vez mais fluído e sempre a favor do Brasil.

Ele explicou que uma das medidas previstas seria a reforma do sistema previdenciário brasileiro.

— O Brasil está desequilibrado fiscalmente, tem um déficit fiscal de R$ 50 bilhões por ano que tem origem só na Previdência. Claro que isso fez parte da conversa, estão todos preocupados e todos querem construir um caminho onde o Brasil, como a gente sempre diz, possa passar o portal do equilíbrio fiscal e ir para o caminho da prosperidade, que é o que todos nós desejamos. O esforço de todos é no sentido de ver o Brasil daqui a um ano, por exemplo, ser visto pelo mundo todo como um país que cresce, se desenvolve, gera empregos e melhores condições de vida para a população.

Onyx afirmou que o documento final será construído em comum acordo com os presidentes dos três Poderes. O texto inicial foi sugerido por Toffoli há um mês. O material foi então trabalhado pela Casa Civil com os presidentes do Senado e da Câmara e apresentado um texto-base no café da manhã, que ainda passará por mais ajustes para ser apresentado no dia 10 de junho. Ele disse ainda que o encontro não foi motivado pelas manifestações do último domingo.

— É um esforço permanente do presidente Bolsonaro desde que assumiu o poder, de ser um governo de diálogo, diálogo e diálogo. E é isso que nós estamos fazendo.

Ele comentou que tem certeza de que todos os brasileiros querem que o Brasil dê certo, independentemente da sua coloração político-partidária, ou da sua ideologia.

 

 

contato@frentesparlamentares.com.br | (61) 99618-7463 (Joaquim do N. Gomes/Redator)

Fonte: Agência Senado

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *